BLOG SÉRIO

Ao rever meu penúltimo post (data comemorativa), flagrei dentre os comentários (scraps) adicionados um de leitor muito especial que me retornava em crítica na intenção inequívoca de ajudar o autor:

 

Indice de PZB (Pra lá de Zuzo Bem) fora de escala, hein? Esta entrada foi construída a oito mãos: você, o coelhinho da Páscoa, Papai Noel e um Vascaíno Macho. Pai, a primeira regra do blog sério é “jamais escreva se não tiver inspiração”. Se não fica uma merda. Daqui a pouco vão começar aparecer títulos como “Meu querido diário, hoje…”

 

Mais histórias do passado! Não estou escutando a sua voz! Mais grave, mais agudo, mais tudo!

 

Pois é, o leitor falou em “blog sério” e aí me quedei meio atônito…

Até há dois meses atrás, blog era para mim mais ou menos como o caviar para o Zeca Pagodinho, “nunca vi nem comi eu só ouço falar”. Então, instigado e estimulado, fui ver como era o negócio e entrei na dança entendendo que eu tinha um espaço e nele eu podia externar o que penso e outros babados. Fui tomando gosto pela coisa e descobri algo maravilhoso: né que me transformei num personagem de mim mesmo?

 

Explico. Lendo minhas próprias crônicas comecei a nutrir uma imensa simpatia por aquele sujeito que, quando fala de si mesmo, demonstra ser um velhote bonachão, palhaço e sacana que, longe de atirar seus achaques e crises de artrose à conta da hipocondria, glosa, ironiza e baixa a lenha no mal uso da vida praticado à larga por imensa quota de cidadãos das mais diferentes idades, credos, cores etc…

 

Enternecer-me pelo bobão sentimentalóide que não consegue ocultar suas contidas e emocionadas lágrimas quando recorda o sucesso de filhos e netas nesta floresta de desafios em que se transformou a vida de cada um e que se desmancha em mal disfarçados elogios a esses seus descendentes e, porque não a si próprio avocando certa responsabilidade, enquanto deixa a baba escorrer pelas linhas do texto.

 

Este meu personagem, tem um passado (por sinal bem extenso), é claro, já fiz referências a alguns fatos e pretendo continuar a fazê-lo, porém, sempre ancorado no seu hoje em dia. A partir das pessoas, locais e acontecimentos que estão chovendo ao seu redor, no presente, vou retirar analogias para mencionar significativos personagens, lugares e episódios que lhes forem dados a lembrar.

 

Nas duas últimas crônicas, meu protagonista foi e ainda está sendo colhido em seu dia a dia por injunções e circunstâncias bem pouco inspiradoras (o conselho do leitor se estendeu a “jamais escreva se não tiver inspiração”), mas eu não podia deixar o personagem mudo e inoperante justamente no momento em que, apesar de privado de recursos essenciais, quis “comemorar” a alegria de ter conseguido um veículo para satisfazer a necessidade primária de isolar-se um pouco de uma espécie de solidão e logo no outro post,  ironizar o contraste com um sexagenário ator, crivado de recursos sempre aumentados pelos índices de alta bilheteria conferidos pelos fãs que não perdem seus espetáculos… nem a pau.

 

Quero comunicar aos meus mais exigentes e bem intencionados leitores que, me desculpem mas, dentro da linha que estou abraçando, provavelmente não vou conseguir realizar um…

 

Blog sério.

 

         

 

 

 

 

 

Esse post foi publicado em CRÕNICAS DE UM IDOSO. Bookmark o link permanente.

3 respostas para BLOG SÉRIO

  1. Pedro disse:

    Vou esperar terminarem as réplicas e tréplicas para comentar o blog. Abraço a todos.

  2. Fernanda disse:

    Oi vô,Queria mais posts como: "O Chineque", "Os Imigrantes" e "O Resgate"… quando será?BeijosNandinha

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s