CUIDAR DE OUTROS…

Segundo domingo de maio, tradicionalmente Dia das Mães. Apesar de se constituir em um apelo comercial de grande monta, ainda assim, faz convergir atenções das mais importantes para este vínculo incontestável… Mãe e sua cria. Sabemos com a ajuda de comercial de produtos infantis que a mãe nasce com seu primeiro filho. Só ali e nunca mais, ela transforma-se no ser habilitado e responsável por CUIDAR DE OUTROS frutos daquela e de outras maternidades que poderão advir.

Claro que existem exceções, lacunas enormes, nessa regra. Jovens que se tornam mães por imprevidência, deslumbram-se com os mistérios e processos da gestação e depois quedam-se impotentes no ato de cuidar simplesmente porque NUNCA se dedicaram desinteressadamente a alguém, são um dos exemplos da queda da regra mencionada. Mas, como afirmei, são exceções. No geral, nossos parabéns pela data. Feliz Dia das Mães a todas elas.

O 12 de maio é, coincidentemente também o Dia Internacional da Enfermagem. A data foi escolhida por ser a data do nascimento de Florence Nightingale, considerada a “mãe” da enfermagem moderna. De nacionalidade inglesa, nasceu em Florença, na Itália daí o seu nome. Aos 17 anos, Florence Nightingale, que era cristã anglicana, decidiu ser enfermeira, acreditando ter um chamado de Deus para fazer enfermagem. Foi na guerra da Crimeia em que o Reino Unido participou entre 1853 e 1856 que o seu trabalho se tornou mais conhecido e ela foi chamada de “Dama da Lâmpada”, instrumento que ela usava durante a noite para ajudar melhor os feridos. Florence Nightingale fundou a primeira Escola de Enfermagem secular do mundo na Inglaterra, em 1860.

Falei em coincidência por duas razões muito simples: a) Florence foi considerada a “mãe” da enfermagem moderna e b) A função precípua de cada profissional de enfermagem – enfermeiro(a), técnico(a), auxiliar e cuidador(a) – é CUIDAR DE OUTROS.
Aqui no Lar de Idosos, como já disse antes, contamos com uma eficiente “galera de enfermagem”. Por motivos óbvios, cada um de nós teve “cassado” o direito de contar com os cuidados maternos. Então apegamo-nos desesperada e confiantemente aos cuidados a nós dedicados pela referida “galera”. São, e tinham de ser, profissionais de enfermagem diferenciados daqueles que atuam em enfermarias e UTIs hospitalares.

Enquanto lá os pacientes “passam” e os profissionais aferem suas necessidades à vista dos aparelhos sensores, sintomas e aos cumprimentos das prescrições médicas, aqui é bem diferente. Nós os moradores, “ficamos” e “estamos”, nunca somente de passagem. E eles (os profissionais) nos conhecem física, mental, emocional e moralmente. Nada conseguimos ocultar de suas observações constantes. E se revezam em turnos distribuindo a medicação, o cuidado e a atenção devidas a cada um, sempre na justa medida.

Por tudo isso, nesse dia reúno, mães aplicadas e profissionais de enfermagem dedicados, num maravilhoso grupo de seres abençoados que o Criador destinou para…
CUIDAR DE OUTROS

Esse post foi publicado em CRÕNICAS DE UM IDOSO. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para CUIDAR DE OUTROS…

  1. Ferrari disse:

    Seu Jura será que é o branco das vestes que descobrem essas boas almas, ou serão almas brancas que se expressam, que se despem no branco? Abraço. Ferrari.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s