ESPELHO MEU …

Domingo 15 de dezembro há apenas 10 dias do Natal de 2013. E eu aqui a ponto de postar mais uma das minhas crônicas.   Os leitores já devem ter reparado que eu geralmente pego um assunto que não tem nada a haver com coisa nenhuma depois, para me justificar, embarco num papo de levá-lo (o assunto é claro) à reflexões.  Coisa de abrigado em Lar de Idosos onde lhe sobra tempo para viver refletindo.

Mas não se iludam, antes de aqui morar nunca tive muito tempo nem interesse em refletir sobre acontecimentos, pessoas e lugares onde passei ou vivi. Assim como a maioria de vocês, pacientes leitores.  Aí, singrando os mares do Facebook, dei de cara com um desses inúmeros textos que por vezes nos fazem parar. 

Veio — na “Time Line” de Ana Caroline Ornellas, com amizade ligada a mim por conta do Instituto História Viva de que já lhes falei — o texto onde me agarrei para gerar o tema desta crônica de agora.

O mundo é como um espelho que devolve a cada pessoa o reflexo de seus próprios pensamentos e seus atos. A maneira como você encara a vida é que faz toda diferença. A vida muda, quando “você muda”. Luis Fernando Veríssimo.

Pois é reflexões, refletir… tudo a ver com o grande e universal instrumento de reflexo que todos nós conhecemos: o ESPELHO.  Como se não bastasse colhi — não sei onde da sinopse do filme atualmente em  cartaz: Espelho Meu, Espelho Meu! Há Alguém Mais Gira Do Que Eu, gênero fantasia inspirado no conto de fadas “Branca de Neve” dos irmãos Grimm   — o seguinte trecho:

Espelho MeuAo completar 18 anos, Branca de Neve resolve sair do castelo e conhecer a realidade de seu reino. Horrorizada com a situação de fome e miséria do povo, ela retorna decidida a derrubar a rainha, extremamente vaidosa.”  Me senti transportado ao prato predileto de minhas crônicas atuais quando exponho minha veia de comentarista político.

Voltando aqui ao Lar dos Idosos, onde sou assistido junto a uns cento e pouco outros companheiros “todos rigrosamente diferentes dos outros”. Nos sanitários, frente as pias, espelhos em profusão. Desde que aqui cheguei há cinco anos, venho observando que, ao ao mirar-se no espelho, cada um  busca e focaliza os cabelos (quem não for calvo); dentes; nariz; epiderme; mas… nunca os olhos.

Comecei então a experimentar olhar nos olhos do cara refletido… esse cara sou eu… e experimentei começando a perguntar-lhe (mentalmente é claro) sua opinião sôbre os desconfortos do momento, desse dia, do dia anterior. Perguntar-lhe sôbre as responsabilidades e culpas sôbre os acontecimentos.

Ele não podia e  não  conseguia mentir para mim. Eu mentiria, como já o fiz, para meus pais; para o professor; para a minha mulher; para o médico; para o  policial e até, uma certa vez, para um Juiz. Mas o dono daqueles olhos ali cravados sobre mim pertenciam e pertencem a alguém que me conhecia e conhece muitíssimo bem, até o âmago do meu ser.

Venho buscando, a partir dessas experiências, trazer para frente do implacável sujeito, imagens verdadeiras e menos desabonadoras de conduta, de aplicação mais compreensiva do presente do Criador (a vida) e, creiam, tenho conseguido sentir muito mais serenidade e paz… ou pelo menos venho acreditando nisso, o que já me deixa bem mais tranquilo.

Novo trecho de Facebook tem feito muito sentido para nós dois (eu e meu reflexo):

“Si quieres tener éxito, debes respetar una regla: NUNCA TE MIENTAS A TI MISMO.” Paulo Coelho

.

Alguns funcionários da Casa, visitantes, voluntários ou os que aqui cumprem penas alternativas, assim como alunos(as) de cursos, universitários ou não, me creditam uma “sabedoria” pela idade e extensão de jornada e decidem me fazer inquisições e buscam respostas. Eu, invariavelmente, uso como clichê a descrição desse “papo corajoso” olhos nos olhos, frente ao espelho, como artifício na busca de uma certa serenidade… Sinceramente não sei se o fazem e obtêm bons resultados para si.

Independentemente, da minha parte sinto-me bem ao ter oferecido tais sugestões, e sereno no momento de, mais uma vez, confrontar o …

ESPELHO MEU  

Esse post foi publicado em CRÕNICAS DE UM IDOSO. Bookmark o link permanente.

2 respostas para ESPELHO MEU …

  1. Edison Franscisco Kruger - by Amor disse:

    Parabéns, realmente o nosso olhar é uma fonte inexplorável para muitos.

    Vou olhar , nos olhos, pois como bem disse cabelos já não os tenho em profusão.

    Abraços e obrigado pela cronica, adorável ainda mais com a busca de uma amiga em comum , a doce Ana. Até breve.

  2. A.C.Ferrari disse:

    A busca do conhecimento propõe que estejamos sempre aberto ao novo. Carreguei comigo uma tese nas variações do olhar no espelho ou ter um espelho que teorizava: aquele que se espelha no pior pode ser ainda pior é demérito; aquele que se espelha no melhor pode se melhor e aí ter mérito. Bem… agora devo pensar; que olhar ao redor é bom, mas prudente e sábio mesmo é olhar e cuidar do meu próprio eu… Afinal o que tem que mudar sou eu, a auto-crítica é sempre mais producente do que a crítica.Grande abraço. Ferrari.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s