PRIMOGÊNITO …

19 de janeiro, data importantíssima para mim.  Duvido que vocês, leitores, não possuam pelo menos uma data de extrema importância em suas vidas. Vou discorrer agora sobre essa minha e nada impede que, ao embarcar nessa viagem do autor, alguns de vocês encontrem referenciais para episódios vividos, sentidos ou mesmo testemunhados e dignos das suas recordações.

No ano de 1938 consta nos registros cartoriais da localidade fluminense de Visconde de Itaboraí um nascimento do qual não me lembro de haver presenciado.  Pudera, eu contava com apenas 1 ano e 53 dias de vida e, ainda que sendo minha irmã que se apresentava a esta vida terrena, não houve jeito para que eu efetuasse meu próprio registro do fato na memória.

Pra variar já vou eu descambando para assuntos familiares, perdoem-me os leitores não familiares mais a coisa é mais forte do que a ética da escrita em blogs.  Assim vou me transportar para outro de meus “posts” publicado no Dia dos Pais (11 agosto de 2013). Ali tem uma frase “Quando eu estava com três anos de idade fomos, os dois, abandonados pela minha genitora”, onde deixei de revelar que Dona Prosperina (minha mãe) levou em sua companhia a segunda filha do casal, a Iracy.

Quatorze anos depois, graças à argúcia detetivesca de minha tia Sebastiana (esposa do Procópio), minha mãe foi localizada e então eu pude revê-la bem como à minha maninha.  Os leitores podem imaginar as emoções que rolaram naquela ocasião.  Agora casada, Prosperina apresentou mais seis outros irmãos a mim, o seu PRIMOGÊNITO.  E a Iracy? Já se podia perceber a incrível beleza interna daquela adolescente.  Nós nos amamos de pronto. Foi amor a “primeira vista”.

Isso tudo rolou pelo ano de 1943.  Percebemos, os dois, que nossas existências se assemelhavam por conta de sucessivas mudanças de ambientes e padrões culturais.  Ora aqui ora ali desenvolvemos incríveis noções de convivência diversificada.  Tios, primos e nossos outros irmãos nos revelavam o quanto podia ser diferenciado o convívio com pais “ligados” junto a mães devotadas às crias.  Ao invés de sofrer com o fato vivíamos, eu e a Iracy, coletando fórmulas de conhecimento do bom viver e da boa vizinhança.

E até hoje saboreamos o prazer e o deleite de nos sentir amados pela maioria dos atores sociais que atuam em nosso entorno.  Claro que encontramos e nos tornamos “cri-cri” de uma meia  dúzia deles… Mas… e daì? Isso sempre fez e fará parte do processo natural de desenvolvimento do caráter de cada um.

Iracy, filha, neta e bisneta

Iracy, filha, neta e bisneta
CLIQUE PARA AMPLIAR

Essa “eterna criança” que hoje completa seus setenta e seis anos de idade, não atua como personagem de  novelas atuais exibidas nas TVs porém, viúva e bisavó, tem namorado com quem vive em intenso idílio. Provavelmente o casamento não saiu por absoluta falta de verba, porque disposição para enfrentar preconceitos não falta a esta autêntica dama do subúrbio, onde vive com muitos afetos e pouquíssimos desafetos.

O Salão de Beleza que instalou, administrou e trabalhou até há pouquíssimo tempo – enquanto as pernas e a vista lhe permitiam os afazeres de cabeleireira e manicure – a notabilizou na localidade de Venda das Pedras no Município de Itaboraí – RJ.

Espero que os leitores mais jovens tenham estórias assim para relembrar e descrever ao chegar, se chegar, nessa contagem de vida da aniversariante e deste seu irmão…

PRIMOGÊNITO

Esse post foi publicado em CRÕNICAS DE UM IDOSO. Bookmark o link permanente.

3 respostas para PRIMOGÊNITO …

  1. Que felicidade saber que sou irmã de vocês… E, como aprendi de vida com vocês!!!
    Parabéns querida irmã!!! Muitas e muitas felicidades!!!

  2. Joyce Rodrigues disse:

    Que belo texto tio!
    76????????? meu DEUS será que chego lá com essa vivacidade e amor pela vida?
    Tio como eu lamento que o NOSSO encontro tenho sido tão tarde(só lá pelos meus 20 e poucos anos) podia ter aprendido muito mais com você! =) mas, tudo tem sua hora certa neh?!
    beijos, com saudade!

  3. A.C.Ferrari disse:

    Ah!… Como é importante a instituição família, acho que o Deus vivo tem aí seu maior santuário! Caro amigo desculpe a demora; mas curti muito seu poema ” Primogenito”; na suas palavras amor aos seus Abraço.Ferrari

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s