O PÃO NOSSO…

Domingo,14 de janeiro de 2018 – Lembro-me da semana passada quando me propus a produzir a primeira crônica do ano e lhes apresentei a doce “figuraça” do Ernesto.  Falei-lhes que sua presença, em mosaico, aqui nos 800 m2 do nosso refeitório, fez do doce boneco, o símbolo da Instituição. E por falar em refeitório…

Refeitório lembra refeição, almoço, jantar, lanche, café, bolo, pão. Então decidi que o tema da crônica de hoje será O PÃO NOSSO, Como é que funciona pra nós essa coisa de sermos nutridos… e bem nutridos? De pronto pensei: Isso é estória que só alguém da Equipe Multidisciplinar da Casa pode nos entregar.

WIN_20180112_10_26_03_ProAchei.! Atraí nossa meiga e gentil técnica em nutrição para um papo elucidativo e ela não se fez de rogada.  Larissa Beggi,  a meu lado na foto aí em cima,  soma já cinco anos dedicando-se a nós. Contratada em 2012 como estagiária iniciou paralelamente, um curso aí ao lado, na Unibrasil – Faculdade nossa vizinha – onde acaba de formar-se em nutrição e dietética — a jovem me pôs a par de que forma e recursos, se utiliza na condução de seu trabalho em prol da qualidade do alimento que se consome aqui no Lar ou seja, O PÃO NOSSO de cada dia !

A forma, nossa menina deixou claro. Cardápios são elaborados periodicamente, em se levando em conta, prioritariamente, os gostos e graus de aceitação observados por gente da equipe de cozinha — Tipo, o que foi deixado no prato ou devorado em cada serviço –– Larissa quis com isso nos dizer que “quem manda é o morador ”. Ficou bem claro que todos os fatores técnicos na constituição e escolha da qualidade nutritiva  bem como nos sabores e preparação do alimento  nunca serão ignorados.

Quanto aos recursos, sabemos que o Lar depende de doações e do uso de programas e projetos governamentais para facilitar a aquisição de materiais, medicamentos e   também, alimentos.  Somos inscritos em vários desses programas e projetos e, desde que obedeçamos as normas e datas, conseguimos condições especiais para  aquisição de produtos de boa qualidade e com pontualidade.

Apenas como exemplo, Larissa nos falou de um desses programas (o PAA), aí eu fui na Internet e o encontrei, assim:

O Programa de Aquisição de Alimentos – PAA possui duas finalidades básicas: promover o acesso à alimentação e incentivar a agricultura familiar. Para o alcance desses dois objetivos, o Programa compra alimentos produzidos pela agricultura familiar, com dispensa de licitação, e os destina às pessoas em situação de insegurança alimentar e nutricional e àquelas atendidas pela rede sócio assistencial e pelos equipamentos públicos de alimentação e nutrição. O PAA também contribui para a constituição de estoques públicos de alimentos produzidos por agricultores familiares e para a formação de estoques pelas organizações da agricultura familiar. Além disso, o Programa promove o abastecimento alimentar por meio de compras governamentais de alimentos; fortalece circuitos locais e regionais e também redes de comercialização; valoriza a biodiversidade e a produção orgânica e agroecológica de alimentos; incentiva hábitos alimentares saudáveis e estimula o associativismo. Para o alcance de todos os objetivos a que se propõe, o PAA é desenvolvido em cinco modalidades diferentes: Doação Simultânea, Compra Direta, Formação de Estoques, PAA Leite e Compra Institucional. O orçamento do PAA é composto por recursos do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) e do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA)

Surpreso, pude perceber que no meio de tantas improbidades administrativas, ainda encontramos boas e meritórias ações de administradores, governantes e legisladores públicos. Isso quer dizer que nem tudo está perdido para o povo. Parece que  pálida luz, se vislumbra num túnel escurecido pela descrença popular. Precisamos mesmo é  pesquisar um pouco mais antes de ir às urnas.

Mais uma vez me sinto agradecido à Providência Divina por ter encontrado e aceito com meu Livre Arbítrio, esse Lar de Idosos – o Recanto Tarumã – que me faz somar  diuturnamente, a meu “limitado” conhecimento (só 81 anos) das coisas e pessoas do mundo que nos cerca. Somar uma respeitável coleção de erros e acertos necessários ao polimento e bom acabamento do ser cristão.

Aqui eu venho conhecendo gente que cuida de gente idosa.  Com desprendimento, atenção, dedicação, carinho e entrega total –  e ainda que sem mesmo perceber – leva para a cama à noite a tranquilidade e a paz que o Criador nos permite ter.

E nós moradores, saciados e agradecidos também iremos dormir conscientes e convictos que no amanhã de cada dia contaremos sempre, com …

… O PÃO NOSSO.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Esse post foi publicado em CRÕNICAS DE UM IDOSO. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s