ÁGUAS REVOLTAS…

Domingo, 09 de setembro de 2018. Em meu pré-sono desta noite a música que me inspirou para a composição desta crônica foi “Bridge Over Troubled Water” da dupla Simon & Garfunkel. Bridge_Over_Troubled_Water_singleLá pelos inícios dos anos 70 eu era fã de carteirinha do autor, Paul Simon. Muito embora trintão, recém casado e morando já por aqui em Curitiba — no primeiro turno. Nem imaginava que voltaria em definitivo quase 20 anos depois com toda a família!!!

Eu e o meu compadre Gilson Ney de Assis, trabalhando no extinto BNH, curtíamos e traduzíamos as músicas sentindo-nos os poderosos conhecedores da emoção humana… Esta noite ao ouvir e recordar-me da tradução de “Ponte Sobre Aguas Turbulentas” comecei a associá-la às intempéries que tenho vivido.

Isto porque apesar da suavidade da melodia o tema título tem muito a haver com o meu atual momento. Imaginem, estou transformado num velhote experto… até demais, para o gosto da população. Muito trocadilhista, cheio das piadas maliciosas e ditos ousados..

Está me faltando habilidade para demonstrar estar deitado como uma ponte sobre AGUAS REVOLTAS, bem da forma e do jeito especificado na letra traduzida da canção, observem:

“Quando você está cansado, se sentindo pequeno

Quando lágrimas estão em seus olhos, eu vou secar todas elas (todas)

Eu estou do seu lado, oh, quando os tempos ficam difíceis

E amigos simplesmente não podem ser encontrados

Como uma ponte sobre águas turbulentas

eu irei me deitar

Como uma ponte sobre águas turbulentas

eu irei me deitar

Quando você está pra baixo e pra fora

Quando você está na rua

Quando a noite cai tão difícil

Eu vou te consolar (ooo)

Eu tomarei sua parte, oh, quando a escuridão vier

E a dor está por toda parte

Como uma ponte sobre águas turbulentas

eu irei me deitar

Como uma ponte sobre águas turbulentas

eu irei me deitar

Vela na menina de prata

Vela…”

É bem aí, que percebo não estar conseguindo, apesar da experiência de todos esses quase 82 anos existidos, inclinar e deitar-me por sobre…

AGUAS REVOLTAS

Esse post foi publicado em CRÕNICAS DE UM IDOSO. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s