BREVIDADE DA VIDA…

Domingo, 11 de novembro de 2018. Quando ainda professor de Ensino Médio e cursinhos preparatórios – lá pelos anos 50 – lembro  de haver propalado em minhas aulas  a existência e importância de inúmeros filósofos. Eles motivarame muito,  autores e personagens  dos mais importantes acontecimentos históricos.

Um deles, em particular, bastante antigo – viveu na época e junto ao império romano dos Césares, e foi contemporâneo de Jesus Cristo, nosso Messias. Em minha busca atual de “literatura noturna”, encontrei Sêneca, e me detive em um de seus trabalhos: “Sobre a Brevidade da Vida” atualíssimo mesmo após vinte séculos.

. “A vida, se você souber usá-la, é longa” – Sêneca

SENECAEscrito como um ensaio moral para seu amigo Paulino, as palavras mordazes de Sêneca ainda trazem uma poderosa mensagem dois mil anos depois. Com sua ousada rejeição ao materialismo, ao estilo de vida convencional e à preguiça Sobre a Brevidade da Vida e é tão relevante quanto antes. Antecipa o mundo moderno. É uma exposição única de como as pessoas se prendem na corrida de ratos e como para estes o suficiente nunca é suficiente

Pois não é que o “cabra” tinha razão. A vida da qual constantemente temos em reclamação como breve, rápida, fugaz bem que poderia ser alongada com um melhor aproveitamento do tempo que nos é concedido pelo Criador.

Eu por exemplo, durante os setenta e um anos que vivenciei aí fora, antes de mudar-me para este Lar de Idosos, cansei de desperdiçar meu tempo e ações com as decisões e indecisões sobre assumir ou desistir de coisas, pessoas, lugares e emoções. Bem como negócios, trabalhos, romances, paixões, divertimentos, saúde e propriedades.

Aí me vejo colhido pelas admoestações de Sêneca, dirigidas ao amigo Paulino:

Você não tem vergonha de reservar para si mesmo apenas o remanescente da vida , e separar para a sabedoria apenas o tempo que não pode ser dedicado a qualquer negócio? Viver apenas quando devemos deixar de viver!”

E ainda:

“Não nos é vedado o acesso a nenhum século, somos admitidos a todos; e se desejamos, pela grandeza da alma, ultrapassar os estreitos limites da fraqueza humana, há um vasto espaço de tempo a percorrer. Poderemos discutir com Sócrates, duvidar com Carneades, encontrar a paz com Epicuro, vencer a natureza humana com a ajuda dos estoicos, ultrapassá-la com os cínicos”

Ai, nesse momento em meu quarto, frente ao computador, quedo-me envergonhado digitando esta crônica na tentativa de fazer você, leitor, refletir um pouco mais, sobre a…

BREVIDADE DA VIDA.

Nota: Amigos, se quiserem adquirir, para depois ler esse livro, cliquem aqui e enjoy (saboreie).

jurandyr@moncores.com.br                           https://seujuradorecanto.org/sobre-o-autor/

 

Esse post foi publicado em CRÕNICAS DE UM IDOSO. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s