O FIO DA MEADA…

Segunda, 18 de março de 2013. Sete da matina ligo o computador e vou dar uma “checada” em quem já andou acessando meu blog, nesta data e descubro um acesso efetuado nos Estados Unidos em cima de uma crônica passada, exatamente esta que estou agora “reblogando“. Li, reli e fiquei admirado e orgulhoso das coisas que escrevia. VALE A PENA LER DE NOVO, gente:

Espaço de Jurandyr

Julho de 2013 dia 07, domingo.  Nestas minhas publicações semanais, no afã de parecer muito criativo, tenho praticado a mistura de múltiplos assuntos e diversificados pontos de vista.  Os leitores nem imaginam os malabarismos que me imponho para que, do meio deste novêlo que crio, eu faça surgir um único e definitivo assunto a ser transmitido.  Disseram-me que é até lúdico e terapeutico, para o cidadão idoso, esse cuidado para não  perder O FIO DA MEADA.

A expressão “FIO DA MEADA” surgiu na revolução industrial quando começaram a ser usadas máquinas para fazer tecidos com a manipulação da mão humana. Essas máquinas tinham um suporte para o rolo de fios (meada). A responsabilidade do operário era a de pegar a ponta do fio (o fio da meada) e colocar na posição que a máquina começava a puxar o rolo e fabricar o tecido. Tal função exigia concentração…

Ver o post original 642 mais palavras

Esse post foi publicado em CRÕNICAS DE UM IDOSO. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s