RELATOS DE UMA SATISFAÇÃO…

Domingo, 21 de julho de 2019. Era para ser uma quinta-feira qualquer, o dia 18 decorrido nesta semana que passou. Um rapaz nos visitava, distribuindo cumprimentos e sorrisos em nosso pátio. Observava-o pela janela meio curioso, momentos depois, uma presença na porta de meu quarto… era ele, buscava-me.

Apresentou-se, Adam de Aguiar.  Há cerca de uns dois anos – disse-me ele – fazia parte de um dos numerosos grupos de alunos da PUC-PR – principalmente de medicina – que nos visitam. Como acontece as vezes, ao cruzar com essa gente pelos corredores tenho o hábito de parlamentar – no sentido pleno do verbo – entre eles.

Se houver quórum e audiência interessada, gosto de falar e ressaltar a importância de suas aceitações às escolhas divinas, além de glosar sobre o fato de que podemos vir a nos reencontrar, eu na condição de paciente sob os cuidados de alguns deles futuros médicos ou cirurgiões. Dependendo do dia, posso até exagerar no entusiasmo e demonstrar certa empolgação… coisas de idoso!

No dia desse nosso encontro passado, deve ter acontecido algo parecido, pois o rapaz havia retido na lembrança o cronista aqui e por isso me procurava. Após as apresentações e lembranças descobri o principal motivo dos cumprimentos e sorrisos no pátio.  Adam estava ali transpirando sua própria satisfação!

livroOfertou-me um livro de sua autoria e auto revelação, com uma capa claramente justificadora da euforia “DESAFIOS & CONQUISTASLutas, Superação e resgate da autoestima”. Quem não se alegraria em poder bradar aos quatro ventos suas conquistas? Na orelha da contracapa uma sinopse:

“Na infância era uma criança ‘fofinha’ que desde muito cedo precisou aprender a conviver com a obesidade. Uma tarefa nada fácil de realizar”

Li e gostei. O cara realmente sente-se feliz e agradecido, principalmente aos poderes superiores, por estar vencendo os desafios que insistem em turvar o andamento de seus objetivos. A quota de participação de seus familiares, da forma que expõe, principalmente pai e mãe, torna a narrativa ainda mais gostosa de se apreciar.

Ao término, Adam nitidamente se propõe a repassar aos leitores dicas valiosas que possivelmente utilizou para enfrentamento de seus principais desafios: 1) concursos vestibulares; 2) tratamento da obesidade; 3) seleção nutricional dos alimentos e 4) saber praticar outros hábitos para uma vida saudável.

Ele ainda deixa explícita uma prática de que muito me utilizo aqui em minha vida reclusa, que é a presença da música nos processos de interiorização.  Inclui, em pelo menos duas ocasiões, letras de louvores gospel na narrativa, ou seja inclui a música em suas terapias e  “a vida sem a música é simplesmente um erro(Nietzsche).

Então vocês, meus leitores, perguntariam o porque desse meu entusiasmo todo e eu lhes direi.

Tenho – como estão carecas de saber – 82 anos de idade e vivo recluso entre os muros deste Lar de Idosos já vão fazer onze anos, e um jovem médico promissor me seleciona em sua visita dizendo-se agradecido também a mim, não sei bem porque, e me faz a oferta do livro com os…

RELATOS DE UMA SATISFAÇÃO…

Esse post foi publicado em CRÕNICAS DE UM IDOSO. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s