EPÍSTOLA 65…

Sábado, 02 de novembro de 2019. Desculpem, pode estar ficando doentia esta mania de eu estar me reportando à obra de Sêneca (Edificar-se para a morte) onde o filósofo enfileira cartas que endereça a Lucílio, sempre acerca do título tema da sua obra.

Desta feita eu extraí a cópia de  um trecho de sua EPÍSTOLA 65, contendo pensamentos de, nada mais nada menos,  Platão.  Nela veremos, lendo, associações impressionantes formuladas por este notável pensador.

The statue of Plato in front of the Academy of AthensNATUREZA & DEUS = CORPO & ESPÍRITO.

“Tu me interditas a inspeção da natureza e, afastado do todo, limitas-me a uma parte? Eu não devo investigar os princípios do universo? Quem dá forma às coisas? Quem distinguiu todas as coisas imersas no uno e misturadas na matéria inerte? Não devo investigar quem é o artífice deste mundo? Que razão é essa que trouxe para tamanha dimensão lei e ordem?
Quem coligiu o que estava disperso, desembaralhou o que estava confuso, divisou uma configuração para o que repousava disforme? De onde emana tanta luz? É fogo ou algo mais luminoso que o fogo? Eu não devo investigar isso? Eu não devo saber de onde vim? Devo esperar ver essas coisas uma só vez ou nascer e renascer? Para onde vou daqui? Que lugar aguarda a alma já livre das regras da servidão humana? Proíbes que eu compartilhe do céu, isto é, ordenas que viva de cabeça baixa?

Sou maior que isso e fui concebido para coisas maiores do que ser o escravo de meu próprio corpo, que, com efeito, encaro simplesmente como uma corrente cerceando minha liberdade. Desse modo, o oponho como barreira à fortuna e não consinto que qualquer golpe o atravesse e chegue até mim. Só isso pode ser uma injúria contra mim: neste domicílio servil reside um espírito livre.

Nunca esta carne vai me compelir ao medo, nunca a uma simulação indigna de um bom homem, nunca mentirei em honra deste débil corpo. Quando for oportuno, dissolverei a sociedade com ele. Mesmo agora, enquanto estamos ligados, não seremos sócios em partes iguais: meu espírito reserva a si todos os direitos. O desdém pelo próprio corpo é liberdade garantida.

Voltando a meu propósito, acrescenta muito a essa liberdade também aquela inspeção de que há pouco falávamos. Sem dúvida, os universais constituem-se da matéria e de deus. Deus gerencia isso que o envolve e essas coisas o seguem como guia e líder. Ora, tem mais poder e mais valor o “que faz”, que é deus, do que a matéria passiva a deus. O lugar que deus ocupa neste mundo, o espírito ocupa no ser humano. O que lá é a matéria, em nós é o corpo. Logo, que as coisas inferiores sirvam às melhores.

Sejamos fortes diante do que é fortuito, não nos abalemos com injúrias, nem com golpes, nem com correntes, nem com a indigência. O que é a morte? Ou fim ou transição. E eu não temo acabar (é o mesmo, de fato, que não ter começado), nem fazer a transição, porque lugar algum me será tão limitante.”

(from “Edificar-se para a morte: Das Cartas morais de Lucílio” by Sêneca)

Assim, mais uma vez travestido de Lucílio – legítimo destinatário da correspondência – o humilde cronista recebe e acolhe conhecimentos importantes expedidos há mais de dois mil anos por Sêneca em sua…

EPÍSTOLA 65

Esse post foi publicado em CRÕNICAS DE UM IDOSO. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s