PAIS AUSENTES…

Novembro de 2019. A nova novela da Globo “Amor de Mãe” me fez inspirar a própria produção de minha novela PAIS AUSENTES. Contendo personagens de nomes fictícios, bem que ela podia se ajustar a fatos e pessoas bem reais que ainda transitam em nossa época e em torno de nós. Vamos a narrativa dessa minha novela:

PAIS AUSENTES
Trancoso, Eustáquio e Sinfronio  foram três pais. Em comum eles portavam o mau hábito de se julgarem absolutamente machos reprodutores e pelo jeito como conduziam suas vidas, aparentemente não tinham nenhum interesse em atuar ou participar no acompanhamento afetivo de suas crias. Acreditavam ser essas, tarefas exclusivas de suas fêmeas, as mulheres que haviam “traçado”.

pai e filhaNo caso de Trancoso: Sua filha Madureza, que havia se transformado em uma “guapa” morena, longilínea e decidida, cultivou uma certa revolta ao presenciar e sentir esse descaso do homem que lhe trouxe ao mundo. Em seguida passou a desdenhar os possíveis candidatos a seu acompanhante na vida e a buscar em outras mulheres a admiração e os afagos que necessitava,

pai e filhoEustáquio perdeu a oportunidade de conhecer bem de perto a graça, a beleza e a candura de sua filha Maria. Esperta, porém bastante decepcionada com a patente indiferença paterna, apoiou-se na mãe e na vó e partiu numa busca incansável por coisas que a poderiam fazer feliz e importante.

Aplicou-se aos estudos enquanto, com incrível coleção de amigas, extraía da vida folguedos e experimentos que a tornavam alegre e comunicativa, ciosa de seu corpo escultural e bem conformado, aplicou-lhe tatuagens incrivelmente belas e de bom gosto.

pai e filhoteSinfronio, pai de um menino, o Próximo, como não se importava muito com o que podia acontecer com o garoto, deixou-o ao sabor da sorte e sob os cuidados e todas as atenções da mãe. Como a região onde foi criado Próximo, mostrava-se árida para um bom desenvolvimento de caráter das pessoas, principalmente os jovens,  o carinha foi se envolvendo com tipos,  hábitos e costumes, pouco urbanos.

Jovem, ainda se vestiu de uma armadura de autoproteção e agressividade, como se buscasse defrontar a má imagem que o pai (ou a falta do pai) lhe transmitiu até ali. Cobriu o corpo de tatuagens, algumas de gosto duvidoso, mas todas meio assustadoras… decretou-se um “bad boy”.

Um velho senhor, aposentado e meio babaca, que conheceu o menino e as duas meninas, um determinado dia compôs e até publicou na rede um poeminha tão  babaca quanto ele mesmo, acerca de uma triangulação que só ele viu… mais ou menos assim:

MARIA E SEUS AMORES

Maria aos 17, conheceu Madureza que abraçou Maria,
Se entenderam, se encontraram, toda noite todo dia…
Pelas redes só postavam, juras de amor eterno…
Primavera, Verão, Outono, por 4 vezes… e o Inverno…

Um dia, Maria aos 21, disse pra Madureza... acabou.
Madureza, madura, entendeu e logo concordou.
Maria se ligou no Próximo, no tempo seguinte.
Próximo, foi pra rede e postou “tiazinha de vinte”!

Maria pode ter achado ridículo, mas, assumiu.
Afinal, amar ao próximo, tornou-se a meta da sua vida.
Faz isso com os necessitados, todo mundo já viu.
Por tudo isso é muito amada e querida.

A mãe do Próximo diz que ele melhorou.
Maria muito feliz, achando-se responsável exultou!.
Mas o cara, de bola cheia parece, se empolgou.
E nas redes “cagando cheiroso”, extrapolou.

Pensei, Próximo tem 19 e Maria,  vinte e um fatura.
E não come mais codorna, prefere agora ver…dura,
Dentro de si glórias repetidas… natural que goze…
Sobretudo se o plantão for de trinta e seis por doze.

Falei pra Maria, lembrando-me da Madureza.
E se você disser pra ele “acabou”, de repente…,
Se o cara, que é de difícil e complicada natureza.
Partir pra ignorância e fizer algo inconveniente?.

Maria me respondeu, “nada, eu penso diferente”!

Agora ao final da minha novela, imaginemos que Madureza ainda vive saltitando em busca de novas cabritinhas; Maria engravidou e alegremente, como sempre, foi trabalhar cuidando de velhinhos, outros necessitados que contam com sua atenção, até a chegada da cria, o velho babaca já está no bico do corvo e o Próximo

O Próximo, se depender de nossa torcida, vai ler bastante para saber escrever bem e conhecer fórmulas de ser um sujeito melhor, responsável que, com toda a certeza, não irá engrossar a enorme fila de…

PAIS AUSENTES.